Como tudo na vida, as coisas acontecem desde pequeno..

11 de jul de 2009

Boas lições na área de gerenciamento

Lição Nº1 - Gestão do Conhecimento

Um homem está entrando no chuveiro enquanto sua mulher acaba de sair dele e está se enxugando. A campainha da porta toca. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender a porta a mulher desiste, se enrola na toalha e desce as escadas. Quando ela abre a porta, vê o vizinho Bob em pé na soleira. Antes que ela possa dizer qualquer coisa, Bob diz: 'Eu lhe dou 800 dólares se você deixar cair esta toalha. Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua. Bob então entrega a ela os 800 dólares prometidos e vai embora. Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher se enrola de novo na toalha e volta para o quarto. Quando ela entra no quarto, o marido grita do chuveiro 'Quem era?' 'Era o Bob, o vizinho da casa ao lado.' - diz ela. Ótimo! Ele lhe deu os 800 dólares que ele estava me devendo?

Moral da história:
Se você compartilha informações a tempo você pode prevenir exposições desnecessárias!!!


Lição Nº2 - Chefia e Liderança

Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e na rua encontram uma antiga lâmpada a óleo. Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um gênio. O gênio diz: 'Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um de vocês'.
'Eu primeiro, eu primeiro.' grita um dos funcionários.
'Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na vida!'
Puf! e ele se foi.
O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido:
' Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de pinas coladas!'
Puf e ele se foi.
'Agora você' diz o gênio para o gerente.
'Eu quero aqueles dois de volta ao escritório logo depois do almoço.' - diz o gerente.

Moral da História:
Deixe sempre o seu chefe falar primeiro .


Lição Nº3 - Zona de Conforto
Um corvo está sentado numa árvore o dia inteiro sem fazer nada. Um pequeno coelho vê o corvo e pergunta:
'Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro?'
O corvo responde: 'Claro, porque não?'
O coelho senta no chão embaixo da árvore e relaxa.
De repente uma raposa aparece e come o coelho.

Moral da História:
Para ficar sentado sem fazer nada, você deve estar sentado bem no alto.


Lição Nº4 - Motivação

Na África todas as manhãs uma gazela acordava sabendo que ela deveria conseguir correr mais do que o leão se quisesse se manter viva.
Todas as manhãs o leão acordava sabendo que deveria correr mais do que a gazela se não quisesse morrer de fome.

Moral da História:
Não faz diferença se você é gazela ou leão, quando o sol nascer você deve começar a correr.


Lição Nº5 - Criatividade

Um fazendeiro resolve colher algumas frutas em sua propriedade, pega um balde vazio e segue rumo às árvores frutíferas.
No caminho ao passar por uma lagoa, ouve vozes femininas que provavelmente invadiram suas terras.
Ao se aproximar lentamente, observa várias garotas nuas se banhando na lagoa.
Quando elas percebem a sua presença, nadam até a parte mais profunda da lagoa e gritam:
Nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora.
O fazendeiro responde:
Eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés !

Moral da História:
A criatividade é o que faz a diferença na hora de atingirmos nossos objetivos.

9 de jul de 2009

Como surgiram os nomes das cores?

SORRISO AMARELO
Na Antiguidade, pensava-se que a icterícia, uma doença que deixa as crianças amareladas, vinha da bílis, secreção produzida pelo fígado que era chamada "humor amargo". No latim, amargo era amargus, que no diminutivo virava amarellus, que acabou virando amarelo

AGENTE LARANJA
Quando os árabes resolveram fazer uma "visitinha" à Europa, trouxeram na bagagem a fruta laranja - nárandja, em árabe. De lambuja, acabaram batizando a cor

CARTA BRANCA
Em geral, dizemos que algo bem liso e brilhante é "branquinho". Os latinos também achavam isso e pegaram o germânico blank, que significa polido, para falar da cor. Aliás, o termo "armas brancas", usado para facas e punhais, vem daí: branco de polido, reluzente

NO "APRETO"
O nome da cor preta vem do latim appectoráre, que queria dizer "comprimir contra o peito". Como assim? É que, com o tempo, o appectorár virou apretar. E, por uma analogia muuito criativa, deu no preto, querendo dizer algo denso, espesso, "apertado"

SANGUE AZUL
Foi uma pedra preciosa chamada lápis-lazúli que batizou a cor azul. Lápis não conta, porque já queria dizer pedra em latim, mas o lazúli veio do árabe lázúrd, nome da rocha azulada. Em latim, o que era pedra continuou pedra, e a cor ficou simplesmente azul

MARROM-GLACÊ
A castanha portuguesa, aquela do Natal, chama-se marron, em francês. E foi da cor desse fruto que veio o nosso marrom. Aliás, o marrom-glacê é isso: um doce escuro feito de castanha portuguesa

MASSA CINZENTA
O cinza nasceu daquela massa de pó misturado com brasas que sobra no fim das fogueiras. Por associação, a palavra latina cinisia, que queria dizer cinzas, transformou-se também no nome do tom preto-claro

VERMELHO-SANGUE
Antigamente, como ninguém conhecia urucum nem pau-brasil na Europa, o único jeito de fazer tinta vermelha era usar um inseto - hoje chamado de cochonilha - que, esmagado, virava um vermelhão. O nome dessa cor vem do latim vermiculum, vermezinho

VERDES ANOS
Aqui chegamos a uma das poucas cores que já nasceu cor. O verbo latino vivere significava estar verde, verdejar. Dele é que nasceu a associação do verde com algo que está nascendo, que ainda não está pronto